quinta-feira, novembro 05, 2009

Aventuras em Cracóvia

Os dias que passaram, continuaram a seguir o mesmo plano do custume... dormir, comer, dormir, sair, dormir, aulas, dormir...! haha

31 Outubro, 2009 - Desta vez, viajámos os 6 (Luis, Nicollini, eu, Smile, Ruben e Tiago). Às 2h da manhã foi a hora a que apanhámos o comboio e qual não é o nosso espanto quando vemos que o comboio já vinha à pinha!? Bem, lá andámos com as tralhas às costas de um lado para o outro do comboio até que descobrimos uma cabine de 6 vazia. Ui, mas não era uma cabine qualquer, era demais para nós, bancos individuais, ar condicionado, electricidade... muito luxo. Pois, esse sonho durou 4h, que foi quando apareceu o segundo pica, e nos tirou delá, porque aquilo era 1ª classe e estava reservado (ahaha! os verdadeiros mitras!).



Bem, o comboio estava cada vez mais cheio, o que nos deu o belo do lugar no hall da carruagem. O Ruben encostou-se a uma porta que dizia WC, mas só depois de tentarmos abrir e virmos que não devia ser. Passado quase meia hora, a porta a que o Ruben estava encostado abriu-se e saiu delá um homem (devia estar mesmo aflitinho!). Lá optámos por ir procurar um lugar decente nas cabines, mas para isso tivemos que nos separar em 3 cabines diferentes.
Ao fim de 7h e pouco de viagem chegámos a Cracóvia. Onde é que nós entrámos primeiro? É verdade, mais um shopping! Praticamente a estação ficava dentro do shopping (haha)! Depois de darmos os primeiros passos em Cracóvia os primeiros grupos de pessoas por quem passámos eram portugueses. Já fartos de ouvir portugueses fomos directos ao hostel para pousarmos as malas. Ainda se lembram da rapariga que o Tiago pediu ajuda na estação em Varsóvia? Ela deu-lhe 'abrigo' em casa dela, lá em Cracóvia. Só nós os 5 é que ficámos no hostel.
Como não tínhamos o quarto antes das 14h fomos comprar os bilhetes para Auschwitz. Passámos todo o dia, praticamente, nos campos de concentração, a ouvir histórias, a ver fotografias e vídeos e a conhecer um pouco mais do que ali se tinha passo.



Sem sabermos ao certo onde apanhar o autocarro, decidi perguntar e a guia lá me disse que era um que estava à nossa frente. Começámos a correr, mas não foi suficiente, já não apanhámos aquele. Tivémos que ir para outra paragem para tentarmos apanhar outro autocarro. Chegamos lá à paragem e quem está lá? Mais portugueses. Lá apanhámos um autocarro que por lá passou, mas pelos vistos não era bem aquele, porque o caminho de volta que era suposto fazer em 1h, fez em quase 2h. Parava em tudo que era esquina.
Depois de 2h de viagem, fomos de novo ao shopping para comer qualquer coisa. Não queríamos ir outra vez ao McDonalds, por isso, andámos a ver o que nos 'ofereciam' nos outros. É obvio que acabámos por ir ao McDonalds (enquanto o Tiago estava em casa da amiga a comer do bom e do melhor!). Logo depois do jantar, fomos descansar para o hostel e delá não saímos.

01 Novembro, 2009 - A nossa estadia no hostel, incluía o pequeno-almoço, por isso fizémos uso dessa oferta. Aliás, usámos e abusámos (ahah).
Já com a barriga bem atestada, fomos então conhecer Cracóvia. Conhecemos as 'pombinhas da catrina:



...o homem que perdeu a cabeça:



...entre outras coisas.
Já com a cidade corrida de uma ponta à outra, decidimos andar num daqueles guias eléctricos. Como verdadeiros tugas, conseguimos regatear o preço de 220zl para 160zl. O eléctrico tinha a opção da explicação em português, mas era um português um bocado 'pretoguês'. Aconteceu por exemplo, 'à sua direita está o museu dos...' ... e na verdade era à esquerda, mas pronto, são pormenores que não podemos reclamar depois de baixar 60zl (haha).



Finalmente, depois de conhecer um pouco mais da cidade, fomos almoçar. Não, desta vez não houve McDonalds para ninguem. Fomos a um restaurante turco. E melhor, fomos jantar a um restaurante georgiano, e na mesa ao lado estava um brasileiro que era professor de capoeira lá em Cracóvia e que logo nos convidou a irmos experimentar.
E agora sim, a nossa verdadeira aventura em Cracóvia. Depois de jantar, fomos à procura de um barzinho ou um café para nos sentarmos um bocadinho a relaxar. Íamos nós (Eu, Ruben, Smile) na praça central à procura do que tivesse com melhor ambiente, e passaram por nós duas raparigas e disseram 'hello'. É claro que não fomos mal educados, e respondemos. Mal sabíamos o que tínhamos acabado de fazer. Perguntámos onde é que era o melhor bar para ir àquela hora e elas disseram que tinham estado num, que estava muito fixe, só que só iam comprar cigarros e já voltavam para lá. Lá se interessaram de tal maneira me nos levar ao famoso bar, que esqueceram os cigarros e foram-nos mostrar onde era. A meio do caminho, o Ruben ficou a saber de onde elas eram e só disse, 'Eu não falo com elas, elas são daquelas...'. Eram da Letónia (capital do Porno)! Elas sempre a perguntar de onde eramos, o que estávamos a fazer, onde estávamos a passar a noite... etc etc. Chegámos então ao bar (saXon - era o nome)... ficava num sítio um bocado manhoso, mas mesmo assim fomos. Entrámos e o bar estava vazio! Sentámonos nas mesas e elas sentaram-se também na mesma mesa que nós, e em segundos a empregada apareceu logo a perguntar o que queríamos beber. A empregada praticamente vinha praticamente sem roupa, para o que era suposto ter. Eu a partir daí comecei a achar tudo muito estranho. Ela deu o menu ao Ruben, e ele escolheu uma cerveja, eu fui atrás da escolha dele, e o Smile também. As outras duas personagens da Letónia pediram dois cocktail's XPTO's. Quando a empregada virou costas eu peguei no menu para ver as bebidas. FUCK! Tínhamos acabado de pedir uma cerveja, que custava 50zl (12,5€!!!), mas pronto o mal já estava feito. O Ruben já se tinha apercebido que elas não interessavam a ninguem, e eu já estava a desconfiar daquele ambiente todo, e comecei a escrever uma mensagem ao Luís a dizer onde estavámos, e caso demorássemos para ele nos ir lá buscar. A conversa delas, depois de verem as cervejas em cima da mesa foi: 'a cerveja não é bebida de noite, vocês precisam é de vodka'. Entretanto vieram os cocktail's delas e a conta. A empregada entrega a conta ao Smile e ele assusta-se! E eu achei estranha a reacção do Smile e parei de escrever a mensagem! Ele vira-se para a empregada e disse que pagava as cervejas, e não o resto. Eu ainda sem perceber porque é que ele tinha dito aquilo, pedi-lhe a conta: 1010zl !!! (252,5€) E as raparigas começaram a empurrar a conta para nós, a dizer que eramos cavalheiros e que tínhamos que pagar tudo. Nós insistimos a dizer que só pedimos três cervejas, e que era aquilo que íamos pagar. A empregada vira-se: mas vocês estão na mesma mesa, alguém se tem que responsabilizar pelo pagamento. Nós já a ver a nossa vida a andar para trás virámonos para as raparigas mais do que uma vez a dizer que só pagávamos a nossa parte. Elas começaram a tentar negociar, do género, metade-metade. E nós não nos mostrámos flexiveis e só queríamos pagar a nossa cerveja. Como nada se resolvia ali na mesa, 'nem sim nem sopas', pedi para falar com a gerente. Assim que me levantei para ir falar com a gerente, o Smile e o Ruben levantam-se também, e as outras duas vieram atrás. O segurança ao ver aquilo foi logo para as escadas para ninguém sair dali sem pagar. Contei o que se estava a passar à gerente, e ela vira-se para mim a dizer que tínhamos que pagar porque estávamos na mesma mesa que as raparigas. Eu continuei a dizer que não, não íamos pagar nada delas porque nem sequer as conhecíamos. Já estava a ficar farto daquilo e mais uma vez 'nem sim nem sopas'. O tempo passava e eu só dizia que não pagava nada delas. De uma das vezes que disse que não pagava, uma delas vira-se para a gerente e disse para ela não se acreditar em mim, porque eu era marido dela e estava a mentir. Depois de ouvir aquela miserável a dizer aquilo, disse que era de Portugal, tinha ali a minha identificação e queria que chamassem a polícia. Quando ouviram falar em polícia, desde logo uma delas disse que pagava e que nós só precisávamos de pagar a nossa parte mas tínhamos que sair da frente dela. E nós assim fizémos, pagámos a nossa parte 150zl, e fomos embora. Só que eu quis esperar que elas saíssem para lhes fazer umas perguntinhas (e espancá-las!). Elas passado uns minutos saíram e disseram: 'No money, no funny. No money, no fuck!'. Resumindo: elas estavam feitas com o bar, não pagaram nada, e muito provavelmente aqueles preços foram feitos para nós, porque o recibo vinha passado à mão. Foi a pior gorjeta desde que cá estamos na Polónia! E bem que nos saiu cára a brincadeira!



Depois deste episódio fomos para o Hostel e lá encontrámos mais portugueses. Estivémos à conversa algum tempo, e depois quando fomos para cima para os quartos, o Smile e o Luís, com os outros portugueses, passaram na cozinha e limparam o que puderam (1 pão de forma, 1 faca, 1 pacote de açúcar, 1 pacote de cereais). Só não trouxeram mais porque entretanto o segurança apareceu e cada um fugiu para o seu quarto.

02 Novembro, 2009 - Bem, graças a ter sido o último a tomar banho, e ao 'roubo' da noite anterior, quando cheguei à cozinha para comer o pequeno-almoço já não tinha nada (ahah).
Fizémos o check-out e fomos à procura dos souvenirs. Entretanto num dos mapas vimos que ainda não tínhamos nenhuma foto no símbolo da cidade, então fomos à procura dele para tirarmos uma foto:



Mais uma vez, no comboio, tínhamos duas pessoas nos nossos lugares reservados. De imediato elas sairam e nós por lá ficámos. Ao longo das 8h de viagem o Tiago conseguiu fazer mais umas poucas amigas que por lá se sentaram na nossa cabine (a cabine era de 8, nós ocupávamos 6 lugares). Já não bastava a viagem ser longa, houve alguém que decidiu puxar o alarme de emergência e o comboio parou do nada, o que possibilitou um atraso de 40minutos! Chegou-se ao ponto em que o Tiago andou a dançar 'Buraka Som Sistema - Kalemba (Wegue Wegue)' em cima do banco do comboio.
E foi assim mais uma viagem.

Esta semana é Oslo e Praga :D

2 comentários:

  1. Desde qdo os tugas são uns cavalheiros:)

    ResponderEliminar
  2. não podem ver um rabo de saias, vão logo atrás... depois fodem-se! xD aprendam, meus amigos xD

    ResponderEliminar